Não tenho um título decente. *


Autor: Yanca K.


Pensamentos afloram em minha cabeça, mas preciso contê-los. Há mais o que fazer, mesmo que eu não deseje. Não quero esquecê-los e ceder espaço para todo o resto. Mas é necessário, mesmo.
Então os encolho, guardo em uma caixa segura, ao fundo da mente, e me afasto correndo antes que mude de decisão. É arriscado resgatá-los, mas eu quero. E muitas vezes quase me rendo às vontades.
Procuro-os aflita. E lá esta, seguro, no mesmo lugar. Considero essa uma péssima hora para ouvir sua consciência. E, novamente amedrontada, fujo. E sinto as idéias claras e precisas escaparem pelos meus dedos, como água cristalina.
Vejo a caixa reluzente em meus sonhos e devaneios, contendo milhões de idéias que tanto me tentam. Idéias e planos, de futuros, de vidas, de histórias... Enxugo o rosto banhado de lágrimas pegajosas com a manga surrada do pijama, e me levanto. É hora de acordar, deixando meus pensamentos para trás. Trancafiados. As responsabilidades estão aí, e a realidade me aguarda.



* OBS:Perdão, leitores, por não colocar um título decente e por esse fracasso de texto. Mas senti grande necesidade de postá-lo; talvez porque ele mostre o que sinto, ou porque gostei mesmo. Não sei o motivo, como também não sei o titúlo com que posso batizá-lo. Desculpem-me

0 comentários:

Postar um comentário







Design e template feitos por Yanca Peixoto. Código HTML usado como base feito por Julie Duarte. A cópia é proibida, seja total ou parcial, e retirar os créditos é plágio. Não retire os créditos.
Atenciosamente, blog O Guarda-Chuva